Brasileiros e o Serviço: Superior ao Europeu!

Europa

Quando falamos em turismo, necessariamente falamos em atendimento ao cliente. E sim, nosso Brasil pode ser considerado superior ao modo Europeu quanto ao relacionamento, principalmente em Hotéis, Bares e Restaurantes.

Não desmerecendo o atendimento europeu da hotelaria e A&B, onde é pré-requisito básico falar o idioma inglês, mas não é possível dizer que eles sabem agradar o cliente. Nós sabemos servir, eles não!

Independente se “servir” ser algo historicamente bom no contexto histórico/cultural, no Brasil existe a preocupação em dar “aquele a mais” para o cliente. Na Europa, a comunicação limita-se ao inglês e língua da região. Isto é, não haverá muito empenho do funcionário em entender o que o hóspede deseja – caso ele não fale estas línguas. Já nossos brasileiros, mesmo quando não compreendem a língua estrangeira, se esforçam em ajudar ou encontrar alguém que possa auxiliar.

Outro aspecto positivo é a nossa pró-atividade e jogo de cintura. Os serviços prestados lá fora seguem rigorosamente o manual de conduta da empresa. Se um hóspede estiver com algum problema próximo ao quarto, você jamais verá um recepcionista sair do balcão para prestar ajuda. No Brasil, essa ajuda pode ser o diferencial de uma boa estadia. Restaurantes e bares seguem o mesmo protocolo, mas quem nunca no Brasil solicitou “aquele choro” no drink e ganhou?

Outras características nossas? Atendimento com sorriso, aproximação com os clientes (podemos até considerar como empatia), nenhuma pressa em remover o cliente do estabelecimento e gestores acessíveis (Se você pede para conversar com o Gerente, no Brasil, ele estará disponível para você).

Como comprovar isso? Cruzeiros internacionais possuem uma grande tripulação no atendimento composta por Brasileiros, por exemplo. Garçons, baristas, recepcionistas… Os brasileiros começam a dominar este setor.

Se quisermos vender algo de bom nesta Copa para o estrangeiro, podemos exaltar o nosso atendimento. Nossa simpatia e pró-atividade poderão compensar, em parte, os fracassos infraestruturais que os aguardam nas nossas terras tupiniquins.

Comentar

comentários

Tagged with:     , , , ,

About the author /


Mestrando em Turismo pela Univali, Bacharel em Turismo pela USP, Pós-graduado em Administração pela FGV, com experiência em Planejamento de Eventos, Planejamento de Produtos Turísticos e Planejamento de Operações Turísticas, é idealizador do site e posta conteúdo para seus colegas todo domingo.

Twitter